Mooca Lindo Apartamento

Apartamento Ref: 2557K
Mooca, São Paulo - SP

Ótimo Apartamento em frente a Estação Juventus Mooca ,ligam as Linha Verde e a Linha Vermelha. Próximo da Universidade São Judas, Universidade Anhembi Morumbi e Universidade FAM. São 2 Dormitórios, ambos com armários; Sala para 2 ambientes com sacada; Cozinha Planejada; Banheiro Social; Área de Serviço ; Vaga para um automóvel. Condomínio com Piscina (adulto e Infantil); quadra; brinquedoteca; salão de festas; churrasqueira; Fitness; salão de jogos; praça; playground e salão para jovens. Trabalhamos com Seguro Fiança que pode ser Grátis!! Vamos juntos realizar Belos Negócios!! CARACTERÍSTICAS DA MOOCA Informações históricas dão conta de que a primeira citação encontrada referente ao bairro da Mooca é de 1556. Na mesma época, a governança de Santo André da Borda do Campo comunicava que todos estavam “obrigados a participar da construção da ponte do rio Tameteai (Tamanduateí)”. Essa ponte se fazia necessária para a ligação entre a Zona Leste e a freguesia eclesiástica da Sé. A partir da transposição do rio Tamanduateí, acelerou-se o adensamento da área que foi gradualmente incorporando-se à cidade. O desenvolvimento urbano da Mooca está associado à história econômica de São Paulo e às rápidas transformações que, nas décadas finais do século XIX e a primeira metade do século XX, fizeram da capital paulistana uma grande metrópole industrial. FERROVIAS Em 10 de agosto de 1867, a Câmara Municipal de São Paulo, então chamada de Câmara Régia, começou a doar terras para a formação de um povoado. Fator importante para a evolução da Zona Leste foi a instalação de duas ferrovias: a primeira, em 1868 a São Paulo Railway (estrada de ferro Santos-Jundiaí), assim conhecida como a Inglesa, ligava São Paulo ao porto de Santos. Por sua importância, um ano depois, em 1869, já se notava muitas casas pequenas e pobres e, assim, o povoado foi crescendo. A segunda ferrovia surgiu em 1875, a estrada de ferro do Norte (o trecho paulista da estrada de ferro Central do Brasil), que ligava São Paulo ao Rio de Janeiro. Entre os novos bairros que surgiram destacaram-se o Belém e a Mooca, que atraíram numerosas fábricas. JOCKEY CLUB Em 1876, um fato importante marcou a história do bairro: Rafael Paes de Barros, senhor de muitas terras na região, que se estendiam até a Vila Prudente e Vila Alpina, criava o Clube Paulista de Corridas de Cavalo, atual Jockey Club, cujas arquibancadas comportavam 1.200 pessoas, no sopé das chamadas colinas da Mooca, no mesmo local onde hoje está instalada a Subprefeitura da Mooca. Em consequência disto, um ano depois, para atender aos apaixonados por turfe, se criou a linha de bonde Mooca-Centro, movida a tração animal. BAIRRO VALORIZADO Estava formado um envolvente centro de lazer, logo frequentado pela alta sociedade do café, que vinha do centro para apostar grandes somas nas corridas de cavalo, inclusive onde a Marquesa de Santos, já envelhecida, era uma das animadoras das corridas. Vale ressaltar que a Mooca foi escolhida para a localização do turfe de São Paulo por se tratar de um ambiente de alta categoria, considerada um bairro excelente para se morar. A Mooca já era, então, um bairro valorizado. Juntamente com os largos São Francisco e São Bento, constituía ponto de passagem de carros puxados por animais. Na época, este meio de transporte era uma inovação e logo São Paulo começaria a se transformar com a chegada da estrada de ferro inglesa, com um ramal se estendendo pela Rua dos Trilhos até o Hipódromo. Um nova civilização surgia com os primeiros italianos chegando a São Paulo e a preocupação deles com a produção de café. Em pouco tempo, estava firmada a Sociedade Italiana da Mooca. Depois, mais imigrantes chegaram, como espanhóis, portugueses e, na década de 30, os hungareses, como eram chamados os imigrantes da Europa Central e Ocidental. FÁBRICAS O bairro foi aos poucos se formando. O local, que era cheio de chácaras e sítios, logo passou a ser ocupado por fábricas e usinas, além de casas de moradias para seus operários. Assim é que entre 1883 e 1890 instalaram-se algumas fabricas de massa como Carolina Gallo, Rosália Médio, Romanelli e outras. Em 1891, o casal Antônio e Helena Zerrener fundaram a Cia. Antarctica Paulista. TÊXTEIS A Mooca também teve o seu valor na economia de São Paulo por conta da indústria têxtil, assim como de outros setores. A pioneira foi a Indústria Rodolpho Crespi, depois vieram muitas outras: Armazéns Matarazzo, Grandes Moinhos Gamba, Casa Vanordim, Tecelagem Três Irmãos, Andrauss Cia Paulista de Louças Esmaltadas, Fabrica de Tecidos Labor, Frigorífico Anglo, Máquinas Piratininga, Alumínios Fulgor, Cia. União dos Refinadores etc. Com isso, a Mooca passou a ser considerada um bairro fabril. CINEMAS Mas não só de trabalho viviam os moradores do bairro. Em 1923 foram inaugurados o Cine Teatro Moderno, o Cine Santo Antônio, em seguida o Cine Aliança, o Imperial, o Icaraí (mais tarde Ouro Verde) e o Patriarca. Outro lazer, aliás, prazer dos mooquenses, era o “footing”, realizado aos sábados e domingos, entre a Rua João Antônio de Oliveira e Avenida Paes de Barros. Nele, moças e rapazes podiam paquerar. Com a farta oferta de lazer e com um significativo número de boas lojas, o mooquense dificilmente saía do bairro. A REVOLUÇÃO DE 1924 Em 1924, oficiais do exército, contrários ao governo do então presidente da República, o mineiro Arthur Bernardes, deflagraram um movimento nacional que, em São Paulo, resultou na derrubada do então presidente do Estado, Carlos de Campos. O governo federal reagiu e acabou massacrando a população da cidade. A revolta demorou 23 dias e deixou como saldo 503 mortos e 4.846 feridos, em sua grande maioria civis. FUGA DE MORADORES Os bairros da Mooca, Belenzinho e Brás foram os primeiros a sofrer as consequências cruéis desse plano. Em desespero, os moradores começaram a abandonar suas casas. As famílias mais abastadas procuravam sair da cidade, com destino a Santos, Jundiaí, Campinas e outras cidades. Muitos, não tendo onde se abrigar, acampavam ao ar livre, armando barracas improvisadas em locais ermos dos bairros. Desta forma, o dia 13 de julho desse ano foi particularmente dramático para os paulistanos, especialmente para os moradores da Zona Leste. CADÁVERES Mooca, Brás e Belenzinho foram atingidos por um canhoneiro tão pesado que as ruas ficaram repletas de cadáveres. Os coveiros não davam conta de cavar sepulturas para enterrar todos os mortos, o que levou muitas famílias a enterrar os mortos nos quintais de suas casas. Em 23 de julho, nova tragédia. Dois aviões carregados com bombas começaram a sobrevoar a cidade a elevada altitude, para evitar a artilharia dos rebeldes e atacaram a Mooca. A terra tremeu com as explosões, casas desabaram, muita gente morreu. CASTIGO E logo se percebeu porque este bairro fora escolhido: não encontrando muitos civis dispostos a se engajar na luta, os militares rebelados procuraram imigrantes italianos, húngaros e alemães, todos muito pobres, e lhes ofereceram 30 mil réis e a promessa de 50 hectares de terra. Muitos não resistiram à mirabolante proposta e se alistaram. Como a Mooca era reduto de trabalhadores italianos, acabou castigada. A MOOCA PÓS-REVOLUÇÃO Em 1925, a Avenida Paes de Barros, as ruas da Mooca e do Oratório, além de todas as transversais, ainda não possuíam calçamento. A primeira rua urbanizada foi a Conselheiro João Alfredo. Apesar de já existirem carros a motor, ainda eram muitos os veículos a tração animal. O próprio corpo de bombeiros e os carros de segurança da Light moviam-se a tração animal. Apesar disso, logo o bairro receberia um prêmio: o bonde “camarão”. Neste período, o avanço do transporte facilitou a formação do Clube Crespi, do qual se originou o Clube Atlético Juventus. Quem imagina a Mooca como um bairro provinciano e macarrônico, cuja principal diversão é, nos sábados à noite, comer pizza regada a vinho nas dezenas de pizzarias ali existentes, conforme muitas vezes já ironizaram as inúmeras novelas e programas humorísticos da televisão, não está muito errado. Este bairro possui características muito próprias que o distingue de todos os demais bairros de São Paulo. Uma dessas características é a forma de falar de seus moradores: a Mooca possui um sotaque próprio, inconfundível. Mesmo quem não é originário de lá, mas que ali vive já há algum tempo, adquire esse sotaque, esse jeito de falar com as mãos. Mesmo sem ser um bairro do qual se poderia orgulhar pelo status social, o mooquense tem orgulho em dizer que é morador da Mooca. É comum ver pessoas com inscrições em camisetas ou adesivos em carro, manifestando sua paixão pelo bairro. A Mooca é mais ainda: é um estado de espírito. Esse estado de espírito que só os mooquenses natos conseguem entender, mas não explicar, vem da época em que ali havia tempo e espaço para as longas conversas nos portões. Quem nasce na Mooca, dificilmente transfere-se para outro bairro e se o faz está sempre de volta às suas origens. Apesar de sua história se confundir com a da própria cidade de São Paulo (ou vice-versa?), não existem muitas referências a respeito da história da Mooca, um dos mais tradicionais e antigos bairros desta cidade. Mas, mesmo nas poucas referências encontradas, muitos fatos e detalhes interessantes e importantes são dignos de serem relatados.

47 m²
2 dorms.
1 banh.
1 vagas

Alto da Mooca Ótimo Apartamento com excelente localização!!

Apartamento Ref: 2556k
Alto da Mooca, São Paulo - SP

Lindo Apartamento com ótima Localização. Com 3 Dormitórios sendo uma suite e com armários planejados; Ampla Sala com sacada; Cozinha Planejada; Área de Serviço com banheiro; Banheiro Social; 2 vagas para automóvel; Condomínio com Piscina, Salão de Festas, Academia, Playground e Sauna. Comércio Fato...TUDO PRÓXIMO!! Aceita Financiamento bancário!! Vamos juntos realizar Belos Negócios!! CARACTERÍSTICAS DA MOOCA Informações históricas dão conta de que a primeira citação encontrada referente ao bairro da Mooca é de 1556. Na mesma época, a governança de Santo André da Borda do Campo comunicava que todos estavam “obrigados a participar da construção da ponte do rio Tameteai (Tamanduateí)”. Essa ponte se fazia necessária para a ligação entre a Zona Leste e a freguesia eclesiástica da Sé. A partir da transposição do rio Tamanduateí, acelerou-se o adensamento da área que foi gradualmente incorporando-se à cidade. O desenvolvimento urbano da Mooca está associado à história econômica de São Paulo e às rápidas transformações que, nas décadas finais do século XIX e a primeira metade do século XX, fizeram da capital paulistana uma grande metrópole industrial. FERROVIAS Em 10 de agosto de 1867, a Câmara Municipal de São Paulo, então chamada de Câmara Régia, começou a doar terras para a formação de um povoado. Fator importante para a evolução da Zona Leste foi a instalação de duas ferrovias: a primeira, em 1868 a São Paulo Railway (estrada de ferro Santos-Jundiaí), assim conhecida como a Inglesa, ligava São Paulo ao porto de Santos. Por sua importância, um ano depois, em 1869, já se notava muitas casas pequenas e pobres e, assim, o povoado foi crescendo. A segunda ferrovia surgiu em 1875, a estrada de ferro do Norte (o trecho paulista da estrada de ferro Central do Brasil), que ligava São Paulo ao Rio de Janeiro. Entre os novos bairros que surgiram destacaram-se o Belém e a Mooca, que atraíram numerosas fábricas. JOCKEY CLUB Em 1876, um fato importante marcou a história do bairro: Rafael Paes de Barros, senhor de muitas terras na região, que se estendiam até a Vila Prudente e Vila Alpina, criava o Clube Paulista de Corridas de Cavalo, atual Jockey Club, cujas arquibancadas comportavam 1.200 pessoas, no sopé das chamadas colinas da Mooca, no mesmo local onde hoje está instalada a Subprefeitura da Mooca. Em consequência disto, um ano depois, para atender aos apaixonados por turfe, se criou a linha de bonde Mooca-Centro, movida a tração animal. BAIRRO VALORIZADO Estava formado um envolvente centro de lazer, logo frequentado pela alta sociedade do café, que vinha do centro para apostar grandes somas nas corridas de cavalo, inclusive onde a Marquesa de Santos, já envelhecida, era uma das animadoras das corridas. Vale ressaltar que a Mooca foi escolhida para a localização do turfe de São Paulo por se tratar de um ambiente de alta categoria, considerada um bairro excelente para se morar. A Mooca já era, então, um bairro valorizado. Juntamente com os largos São Francisco e São Bento, constituía ponto de passagem de carros puxados por animais. Na época, este meio de transporte era uma inovação e logo São Paulo começaria a se transformar com a chegada da estrada de ferro inglesa, com um ramal se estendendo pela Rua dos Trilhos até o Hipódromo. Um nova civilização surgia com os primeiros italianos chegando a São Paulo e a preocupação deles com a produção de café. Em pouco tempo, estava firmada a Sociedade Italiana da Mooca. Depois, mais imigrantes chegaram, como espanhóis, portugueses e, na década de 30, os hungareses, como eram chamados os imigrantes da Europa Central e Ocidental. FÁBRICAS O bairro foi aos poucos se formando. O local, que era cheio de chácaras e sítios, logo passou a ser ocupado por fábricas e usinas, além de casas de moradias para seus operários. Assim é que entre 1883 e 1890 instalaram-se algumas fabricas de massa como Carolina Gallo, Rosália Médio, Romanelli e outras. Em 1891, o casal Antônio e Helena Zerrener fundaram a Cia. Antarctica Paulista. TÊXTEIS A Mooca também teve o seu valor na economia de São Paulo por conta da indústria têxtil, assim como de outros setores. A pioneira foi a Indústria Rodolpho Crespi, depois vieram muitas outras: Armazéns Matarazzo, Grandes Moinhos Gamba, Casa Vanordim, Tecelagem Três Irmãos, Andrauss Cia Paulista de Louças Esmaltadas, Fabrica de Tecidos Labor, Frigorífico Anglo, Máquinas Piratininga, Alumínios Fulgor, Cia. União dos Refinadores etc. Com isso, a Mooca passou a ser considerada um bairro fabril. CINEMAS Mas não só de trabalho viviam os moradores do bairro. Em 1923 foram inaugurados o Cine Teatro Moderno, o Cine Santo Antônio, em seguida o Cine Aliança, o Imperial, o Icaraí (mais tarde Ouro Verde) e o Patriarca. Outro lazer, aliás, prazer dos mooquenses, era o “footing”, realizado aos sábados e domingos, entre a Rua João Antônio de Oliveira e Avenida Paes de Barros. Nele, moças e rapazes podiam paquerar. Com a farta oferta de lazer e com um significativo número de boas lojas, o mooquense dificilmente saía do bairro. A REVOLUÇÃO DE 1924 Em 1924, oficiais do exército, contrários ao governo do então presidente da República, o mineiro Arthur Bernardes, deflagraram um movimento nacional que, em São Paulo, resultou na derrubada do então presidente do Estado, Carlos de Campos. O governo federal reagiu e acabou massacrando a população da cidade. A revolta demorou 23 dias e deixou como saldo 503 mortos e 4.846 feridos, em sua grande maioria civis. FUGA DE MORADORES Os bairros da Mooca, Belenzinho e Brás foram os primeiros a sofrer as consequências cruéis desse plano. Em desespero, os moradores começaram a abandonar suas casas. As famílias mais abastadas procuravam sair da cidade, com destino a Santos, Jundiaí, Campinas e outras cidades. Muitos, não tendo onde se abrigar, acampavam ao ar livre, armando barracas improvisadas em locais ermos dos bairros. Desta forma, o dia 13 de julho desse ano foi particularmente dramático para os paulistanos, especialmente para os moradores da Zona Leste. CADÁVERES Mooca, Brás e Belenzinho foram atingidos por um canhoneiro tão pesado que as ruas ficaram repletas de cadáveres. Os coveiros não davam conta de cavar sepulturas para enterrar todos os mortos, o que levou muitas famílias a enterrar os mortos nos quintais de suas casas. Em 23 de julho, nova tragédia. Dois aviões carregados com bombas começaram a sobrevoar a cidade a elevada altitude, para evitar a artilharia dos rebeldes e atacaram a Mooca. A terra tremeu com as explosões, casas desabaram, muita gente morreu. CASTIGO E logo se percebeu porque este bairro fora escolhido: não encontrando muitos civis dispostos a se engajar na luta, os militares rebelados procuraram imigrantes italianos, húngaros e alemães, todos muito pobres, e lhes ofereceram 30 mil réis e a promessa de 50 hectares de terra. Muitos não resistiram à mirabolante proposta e se alistaram. Como a Mooca era reduto de trabalhadores italianos, acabou castigada. A MOOCA PÓS-REVOLUÇÃO Em 1925, a Avenida Paes de Barros, as ruas da Mooca e do Oratório, além de todas as transversais, ainda não possuíam calçamento. A primeira rua urbanizada foi a Conselheiro João Alfredo. Apesar de já existirem carros a motor, ainda eram muitos os veículos a tração animal. O próprio corpo de bombeiros e os carros de segurança da Light moviam-se a tração animal. Apesar disso, logo o bairro receberia um prêmio: o bonde “camarão”. Neste período, o avanço do transporte facilitou a formação do Clube Crespi, do qual se originou o Clube Atlético Juventus. Quem imagina a Mooca como um bairro provinciano e macarrônico, cuja principal diversão é, nos sábados à noite, comer pizza regada a vinho nas dezenas de pizzarias ali existentes, conforme muitas vezes já ironizaram as inúmeras novelas e programas humorísticos da televisão, não está muito errado. Este bairro possui características muito próprias que o distingue de todos os demais bairros de São Paulo. Uma dessas características é a forma de falar de seus moradores: a Mooca possui um sotaque próprio, inconfundível. Mesmo quem não é originário de lá, mas que ali vive já há algum tempo, adquire esse sotaque, esse jeito de falar com as mãos. Mesmo sem ser um bairro do qual se poderia orgulhar pelo status social, o mooquense tem orgulho em dizer que é morador da Mooca. É comum ver pessoas com inscrições em camisetas ou adesivos em carro, manifestando sua paixão pelo bairro. A Mooca é mais ainda: é um estado de espírito. Esse estado de espírito que só os mooquenses natos conseguem entender, mas não explicar, vem da época em que ali havia tempo e espaço para as longas conversas nos portões. Quem nasce na Mooca, dificilmente transfere-se para outro bairro e se o faz está sempre de volta às suas origens. Apesar de sua história se confundir com a da própria cidade de São Paulo (ou vice-versa?), não existem muitas referências a respeito da história da Mooca, um dos mais tradicionais e antigos bairros desta cidade. Mas, mesmo nas poucas referências encontradas, muitos fatos e detalhes interessantes e importantes são dignos de serem relatados.

89 m²
3 dorms.
2 banh.
2 vagas

Studio para locação, Belenzinho, Próximo ao Metro Belém, Hospital Cema

Kitnet Ref: 2555K
Belenzinho, São Paulo - SP

Studio para locação, Belenzinho, Próximo ao Metro Belém, Hospitais Cema e Aviccena e Universidades Anhanguera e São Judas Tadeu - São Paulo, SP. Studio NOVO! Primeira locação!! Na parte térrea possui Cozinha; Banheiro ; Sala/ Dormitório com 20m² e mai 6m² na parte de cima podendo ser Escritório ou Dormitório. Esta incluso no valor Aluguel + Internet, água e luz individuais!! Possui Bicicletário, Área Verde com Frutíferas, bancos para o lazer. Pacote R$1200,00 Aceita caução (depósito) de 3 meses. Está em excelente localização, próximo ao Metro Belém, próximo ao Hospital Cema; ao Hospital Aviccena; Universidade Anhanguera; Radial Leste; Universidade São Judas Tadeu; Hospital Infantil Candido Fontoura; Sesc Belenzinho e todo o comércio da Rua Siqueira Bueno. O bairro do Belém, na Subprefeitura da Mooca, Zona Leste da Cidade, é banhado pelo rio Tietê, cortado por importantes vias como as avenidas Celso Garcia e Radial Leste e formado por famílias há décadas instaladas na região. O nome foi originado na fé católica, como homenagem a São José do Belém, que deu nome à paróquia criada em julho de 1897, após desmembramento da igreja Bom Jesus do Brás. Dois anos mais tarde, foi criado o distrito de paz do Belenzinho, também desmembrado do Brás. Como, então, Belenzinho se transformou em Belém. O bonde 24, que servia a toda a região, estampava apenas o nome Belém, ao invés de Belenzinho. Esse uso caiu no agrado do povo e acabou virando um distrito da capital. O Bairro Belenzinho, por sua vez, ficou sendo um pequeno bairro do distrito. Entretanto, muito moradores ainda chamam a região de Belenzinho. O fato é que, além de ser um bairro simpático, em constante desenvolvimento, ele abriga marcos importantes da vida da cidade como o tradicional colégio Agostiniano São José, a Vila Maria Zélia e o Parque do Belém. Para homenagear a comunidade de moradores deste maravilho bairro, o Encontra São Paulo criou o Encontra Belenzinho Belenzinho é um bairro da cidade de São Paulo localizado na região central adjacente à Paróquia São José do Belém, no distrito do Belém. [1] É um bairro de fácil acesso ao transporte público, seja ao metrô, através da Estação Belém ou a ônibus, através dos corredores de ônibus na Avenida Alcântara Machado e Avenida Celso Garcia. O coração do comércio do bairro é hoje o Largo São José do Belém, nele e nos seus arredores há agências bancárias, mercados, lotéricas, farmácias, açougues, restaurantes e padarias. Vamos juntos Realizar Belos Negócios!!

24 m²
1 dorms.

Mooca apartamento em frente a Estação de Trem Juventus - Mooca.

Apartamento Ref: 2554K
Mooca, São Paulo - SP

Lindo apto em frente a Estação de Trem da Mooca semi-mobiliado!! São 2 dormitórios, sendo que um possui Armário, escrivania e comoda ; Sala para 2 ambientes com sacada e com Rack; Cozinha com armários planejados com fogão e geladeira, Área de serviço com armário; Banheiro social; Vaga para automóvel. Com toda infraestrutura do Bairro, Rua da Mooca, Estação de Trem na porta (interligando todas as linhas do Metro), Universidade São Judas, Universidade Anhembi Morumbi e Universidade FAM. Avaliamos o perfil de crédito de todos os envolvidos na proposta, se a Seguradora autorizar, vc pode alugar sem fiador!! Vamos juntos realizar Belos Negócios!! Características da Mooca Mooca é um tradicional distrito de classe média alta, situado na zona leste do município de São Paulo e é administrado pela Subprefeitura da Mooca. É um bairro historicamente caracterizado pela grande quantidade de imigrantes Italianos, espanhóis que predominam até hoje no bairro. É considerado o mais seguro de São Paulo por vários anos consecutivos, quem confirma isso é o Governo da cidade. Desde 2011, é feita uma análise de índices de criminalidade por Distrito Policial nos bairros e regiões paulistanas para descobrir quais são os mais seguros. A pesquisa mostrou que a Mooca teve apenas duas mortes de 2011 a 2013, o número mais baixo de toda cidade. A Mooca é formada por 3 bairros: Mooca, Alto da Mooca e Parque da Mooca. A sua fundação aconteceu em 17 de Agosto de 1556, 56 anos após o descobrimento oficial do Brasil pelos portugueses. Na época, as terras eram ocupadas por índios que se concentravam próximo ao Tameateí ou Tometeri, hoje o Rio Tamanduateí. O nome do bairro é de origem indígena. Uma versão aventada é a de que ele teria surgido no século XVI, quando os primeiros habitantes brancos começaram a construir suas casas na região, sob o olhar curioso dos índios, que teriam exclamado Moo-oca! Numa tradução livre, algo como "Eles estão fazendo casas!", de moo, fazer e oca, casa. A Mooca se caracteriza por uma intensa ocupação de italianos, cujos descendentes não abandonaram o distrito. Outras imigrações importantes foram de lituanos e croatas. Um nome intimamente ligado ao distrito é o do italiano Rodolfo Crespi, dono da que chegou a ser a maior tecelagem de São Paulo, o Cotonifício Crespi, fundado em 1896. Sucessivas ampliações da fábrica foram acompanhadas por construção de moradias para seus funcionários. Assim como a família Crespi, boa parte dos operários era de origem italiana. Desde 2006, o complexo fabril do antigo cotonifício é ocupado pelo hipermercado Extra, que promoveu um projeto polêmico e agressivo de reabilitação e ampliação dos edifícios, alterando sua integridade arquitetônica e construtiva. A imigração italiana está presente também nas tradições gastronômicas do distrito que, entre muitas cantinas, pizzarias e doçarias, conta com alguns importantes nomes, como a doçaria Di Cunto, a pizzaria São Pedro, a Pizzaria do Ângelo e o restaurante Don Carlini. Muitas famílias de origem napolitana do sul da Itália, da Lombardia (Milão, Busto Arsizio) e Piemonte (Turim) ocupam o distrito até hoje. Sendo uma região de passado industrial, foi uma das áreas da cidade onde se concentraram os imigrantes, em especial os italianos, que imprimiram certas marcas características do distrito, como algumas festas típicas, tais como a Festa de San Gennaro.[7] O distrito abriga, hoje, o Memorial do Imigrante, que traz informações sobre a imigração italiana no Brasil. É um distrito que ainda concentra algumas indústrias na cidade, mas é predominantemente residencial de classe média e de serviços. O distrito ainda sedia a Universidade Anhembi Morumbi, Universidade São Judas Tadeu e agora a Universidade FAM, todas de classe média alta, e o tradicional clube paulistano Clube Atlético Juventus. Em 2006 e 2007, a região assistiu ao conflito entre os movimentos de moradia e a população de classes alta e média da região pela definição no local de zonas especiais de interesse social (ZEIS), nas quais é deve predominar a construção de habitação de interesse social. As classes de mais alta renda exigiam a retirada das ZEIS do Plano Diretor Regional da Subprefeitura, as quais haviam sido definidas pela população no processo de elaboração daquele plano durante a gestão de Marta Suplicy em São Paulo. Com a gestão José Serra-Gilberto Kassab, a proteção às Zeis deixou de existir por parte da Prefeitura de São Paulo. Em 2007, o distrito também foi palco de uma disputa entre o CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio) e o mercado imobiliário interessado na construção de torres residenciais de alto e médio padrão na região. Assim, demonstrando toda essa característica contrastante, podem-se encontrar, ainda hoje, muitos casarões antigos, com suas fachadas em vários estilos, construídas pelos maestri, os mestres construtores, adornadas de guirlandas e de baixos-relevos, objetos de admiração e de estudo de novos arquitetos, ao lado de modernas residências, assim como de estreitas ruas, típicas de velhas cidades da Europa, ao lado de largas avenidas. Segundo reportagem do Jornal da Tarde: “ Com seus sete quilômetros quadrados de área e uma população de mais de 63 000 habitantes, é o distrito mais com a cara de São Paulo, sendo que as suas características correspondem exatamente à média da cidade. ” Hoje, o tradicional distrito é um dos mais valorizados da Zona Leste paulistana.[] Composto por três bairros (Mooca, Alto da Mooca e Parque da Mooca), o distrito da Mooca, atualmente, passa por uma grande transformação em toda a sua extensão, com desativação de antigas indústrias, fábricas e demais complexos, dando lugar a novos estabelecimentos comerciais e a imponentes condomínios residenciais. Abaixo listamos motivos para amar a Mooca e ter a plena certeza que é um ótimo bairro para se viver: 1. Aos finais de semana, o bairro oferece um passeio que transporta os paulistanos para outra época. Uma maria-fumaça, original de 1922, sai da estação da Mooca e percorre três quilômetros em uma viagem de 25 minutos. No trajeto, a locomotiva transita por uma vila ferroviária do século passado e passa também por antigos trens da SP. 2. Para conhecer um pouco sobre o cotidiano dos primeiros anos do século passado, dê uma passadinha na Rua Henrique Dantas. Calçada de paralelepípedos, ainda hoje abriga as casas de três cômodos construídas pelos operários das fábricas instaladas na região. 3. Em contraste com o passado, o moderno Mooca Plaza Shopping é boa opção para compras e diversão. Há diversas opções de lojas e restaurantes. 4. Cantinas e restaurantes italianos, mas quem preferir uma bela pizza também encontra ótimos lugares. 5. "Belo, me vê um chopps e dois pastel." Assim é o mooquês, dialeto que perdura nos grandes sambas paulistanos e nas novelas da televisão. De tão característico, pode virar patrimônio imaterial de São Paulo. 6. O futebol tem espaço especial no coração do mooquense, que deposita no Juventus sua confiança. O Estádio Conde Rodolfo Crespi, localizado na Rua Javari, é um dos locais mais conhecidos da cidade. Atletas de esportes amadores e olímpicos treinam na sede social do Clube Atlético Juventus, um complexo esportivo de 80 000 metros quadrados, que recebe também shows e eventos. 7. Em dias de jogos, uma figura histórica da Mooca aparece. Desde 1970, o Seu Antônio vende seus famosos e tradicionalíssimos cannolis. Preparados com esmero por ele, há duas opções: creme e chocolate. 8. Se sua praia é música, você vai adorar o Casarão do Vinil (Rua dos Trilhos, 1212). Dá para encontrar bolachões das antigas de diversos estilos, do samba ao rock.

47 m²
2 dorms.
1 banh.
1 vagas

Lindo Apartamento Alto da Mooca

Apartamento Ref: 2553G
Vila Bertioga, São Paulo - SP

Apartamento no Alto da Mooca, 3 dormitórios planejados sendo 1 suíte, banheiro social com box e gabinete, lavabo, cozinha planejada, sala ampla para 2 ambientes com amplo terraço e churrasqueia, em andar alto com vista livre e duas vagas de garagem com deposito. Lazer completo. Documentação em ordem.

97 m²
3 dorms.
2 banh.
2 vagas

Área 5100 metros

Área Ref: 2552G
Penha, São Paulo - SP

VENDE ÁREA DE 5.100 m2 ZM PRÓXIMO FUTURA ESTAÇÃO TIQUATIRA METRÔ Aproveite e SAIA NA FRENTE com sua incorporação Área com 5.100 m2, com duas entradas pra ruas distintas, e excelente pra INCORPORAÇÃO do MINHA CASA MINHA VIDA! ZM porém construído no sistema HIS aproveita-se 3x o tamanho da área! Proxima ao centro da Penha, e a 450 mts da futura estação Tiquatira do metrô (previsão para 2026) Para tanto, este imóvel, fica próximo às principais vias de escoamento de SP, ou seja, marginal Tietê, radial leste, Rodovia Dutra, Ayrton Senna, Fernão Dias e Tiquatira. 17.000.000.00 a vista 21.000.000.00 permuta

5100 m²

Lindo Apto. V Formosa

Apartamento Ref: 2551G
Vila Formosa, São Paulo - SP

Lindo apartamento com 3 dormitórios sendo 1 suite, sala para 2 ambientes com sacada gourmet, cozinha tipo americana planejada, wc social com box e gabinete, lavanderia e duas vagas de garagem. Apartamento todo planejado, piso em porcelanato, teto rebaixado em gesso, lazer completo. Bastante sol! Ao lado do Mercado Extra, perto de farmácias, padarias, centro da Vila Formosa.

78 m²
3 dorms.
2 banh.
2 vagas

Oportunidade Centro/SP

Apartamento Ref: 2550G
Sé, São Paulo - SP

Excelente apartamento no centro da cidade espaçoso e bem distribuído. Localização privilegiada, próximo ao Fórum João Mendes, Av. Liberdade, SESC do Carmo, Teatro Municipal, restaurantes, lojas, bancos, Rua 25 de Março e Mercado Municipal. A poucos minutos das estações de metrô Sé, Liberdade e Parque D. Pedro. Reformado, com material de primeira linha, ventilação cruzada, pé direito alto, dois dormitórios, reversível, sala cozinha, banheiro, lavanderia e área externa. Prédio com câmeras de segurança, gás encanado e fácil acesso as principais vias da região, como Radial Leste, Av. do Estado e Corredor Norte Sul. Não possui vaga de garagem. Documentação ok para financiamento. área útil 61 m² área total 71 m².

61 m²
2 dorms.
1 banh.

Lindo Apto. Brás/Centro

Apartamento Ref: 2549G
Brás, São Paulo - SP

Apartamento domiciliar com 2 dormitórios, Sala 2 ambientes, cozinha, wc social, lavanderia e 1 vaga rotativa. Imóvel quitado, com documentação em ordem. Apartamento bem bonito. ARMÁRIOS E GUARDA ROUPAS (CASO INTERESSE), SERÃO DEIXADOS COM O FUTURO PROPRIETÁRIO. POSICIONADO DE FRENTE PARA O LARGO DA CONCÓRDIA, LATERAL COM ESTAÇÃO DE METRÔ E FUNDOS PARA RUA PIRATININGA QUE DÁ ACESSO AO BAIRRO DA MOÓCA E RADIAL LESTE.

50 m²
2 dorms.
1 banh.
1 vagas

Lindo Salão Vila Carrão

Salão Comercial Ref: 2548G
Vila Carrão, São Paulo - SP

salão extremamente lindo, acabamento refinado, piso em porcelanato, ar condicionado, copa/cozinha, banheiros, serve como buffet, loja prime de veículos, escritórios de diversas atividades, salão de cabeleireiro, entre outros segmentos. Fachada em vidro. Possui 280 metros, parte superior com escritório, banheiros e sala.

280 m²
4 banh.